P. Geral sobre a nova missão na Tanzânia

Roma, 27 de julho de 2016

“Pois bem meus filhos, transmiti isso a todo o meu povo!”

                                              (Maria em La Salette)

Caríssimos Coirmãos,

Estas poucas linhas vos escrevo de Roma no dia seguinte do retorno da Tanzânia, onde P. Adilson e eu vivemos momentos indescritíveis e, em certo sentido, até históricos, com a abertura de uma Comunidade Saletina em Rutete, na Diocese de Bukoba, concomitante com o aniversário dos 170 anos da Aparição de Maria em La Salette, e da celebração do Jubileu Extraordinário da Misericórdia lançado pelo Papa Francisco.

O caminho do discernimento, iniciado há alguns anos, envolvendo a Diocese de Bukoba, o Conselho Geral e a Congregação, foi concluído com alegria no dia 15 de julho próximo passado com a chegada em terras tanzanianas de três e nossos coirmãos que assim deram início a primeira presença saletina naquele país.

Domingo, 17 de julho, com a presença de D. Desiderius Rwoma, Bispo Diocesano e de D. Methodius Kilaini, Bispo Auxiliar, do P. Adilson Schio, Vigário Geral, do P. Rosano Soriano, Provincial das Filipinas e deste que vos escreve, os três missionários, P. Manuel dela Cruz (Filipino), P. Dileesh Poriamvelil (Indiano) e P. Aldrin Cenizal (Filipino) foram acolhidos por 12 sacerdotes diocesanos e mais ou menos três mil fiéis que em festa demonstraram seu entusiasmo, apesar do forte sol que foi amenizado pela instalação de algumas lonas estacadas por uma armação de bambu, colocadas por voluntários da paróquia propriamente para esta ocasião, na frente de um altar campal.

Durante a missa, que durou umas quatro horas, foram celebrados 197 batizados, ministrados em grande parte pelos nossos missionários, e 12 casamentos. No final da missa, o Bispo Diocesano entronizou e abençoou uma imagem de Nossa Senhora da Salette apresentando-a ao povo. Também apresentou aos fiéis os novos missionários, dando assim início oficial à presença saletina nas maravilhosas terras de Tanzânia. Precedentemente, na homilia, o Bispo já havia comunicado que a nova Paróquia se chamaria Paróquia Nossa Senhora da Salette. Esta decisão diz tudo quanto ao clima de alegria e de afeto, misturados a um profundo reconhecimento da Diocese de Bukoba, do como foram acolhidos os nossos três missionários. Como eles diziam: “Karibu” (bem vindos em Kiswahili).

Depois do almoço a festa continuou até às 18h30min, com cantos e danças típicas daquela região e com a entrega os missionários de muitos presentes “in natura”, entre os quais, sete cabras, vinte e tantas galinhas, alguns coelhos e um fogão a gás. Também eles receberam um conjunto completo de paramentos litúrgicos e diversos materiais para a celebração de sacramentos.

A casa onde viverão os nossos coirmãos, que foi construída e mobiliada pelos paroquianos, é muito simples, um pouco espartana até, mas muito acolhedora, há luz elétrica na casa, mas ainda não tem água corrente. Cada um terá o seu próprio quarto com banheiro e uma pequena sala de trabalho. Os locais comuns são uma sala com sofás e TV, um refeitório e uma pequena cozinha com uma dispensa que ainda precisa ser concluída.

Devido à dificuldade inicial com a língua nativa, um sacerdote diocesano foi designado pelo Bispo para morar com os nossos missionários, acompanhando-os por alguns meses até quando eles terão aprendido o kiswahili. Nós ficamos positivamente impressionados com a disponibilidade do P. Eric em doar um pouco do seu tempo e da sua experiência aos nossos missionários.

Em nome da Congregação, sinto o dever de agradecer de coração, primeiramente aos três coirmãos que se disponibilizaram para dar início a esta nova experiência missionária em Tanzânia, e naturalmente agradeço às suas Províncias de origem, Filipina e Índia, por terem acolhido o apelo do Conselho Geral para que esta missão fosse tornada possível na Diocese de Bukoba.

Como eu tive a oportunidade de recordar a eles, P. Manuel, P. Deleesh e P. Aldrin não estão em Tanzânia a título pessoal, mas em nome e por conta da Congregação, em resposta a um pedido da Diocese.

Estando ali por aqueles dias, me foi possível discutir e assinar o contrato com a Diocese a fim de regulamentar o período e as condições da nossa presença na Paróquia e na naquela Igreja Particular de Bukoba.

Confio o início e o crescimento desta nossa nova missão à Virgem Reconciliadora de La Salette, nossa celeste padroeira, para que Ela sustente e abençoe esta iniciativa missionária da Congregação no ano do 170º aniversário da sua aparição na Santa Montanha de La Salette. Espero também que a oração de cada um de nós, como também aquela dos nossos Leigos Saletinos, possa acompanhar sempre o caminho e os esforços destes nossos coirmãos na missão de anunciar o Evangelho de Jesus e de fazer conhecida a mensagem de reconciliação, esperança e misericórdia da Bela Senhora, em terras tanzanianas.

Por fim, vos comunico o endereço e-mail dos nossos três primeiros missionários em Tanzânia, para que vocês possam transmitir a eles a vossa saudação e solidariedade fraterna neste início.

P. Manuel - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

P. Dileesh - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

P. Aldrin - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Fraternalmente o vosso,

P. Silvano Marisa

Media

Go to top