Eu vi a primeira Romaria! Pe. Clorálio Caime, MS.

Caminhando em Romaria:

Eu vi a primeira Romaria!

Eu me lembro! Era seminarista estudante na “Escola Apostólica” de Marcelino Ramos. Tinha 16 anos de idade quando presenciei a primeira Romaria em honra a Nossa Senhora da Salette, em 1936. Pensando naquele dia, eu jamais imaginava que ali estava começando um grande movimento religioso. É um longo tempo de ação de graças que merece ser lembrado e celebrado.

Era domingo, 20 de setembro. Choveu neste dia, mas a chuva não esfriou o ânimo dos romeiros. Tão pouco atrapalhou a sua caminhada da Estação Ferroviária até a pequena Capela do Seminário. O grupo de romeiros era da cidade de José Bonifácio, hoje ERECHIM - RS, que vieram acompanhados pelo seu pároco, Pe. Benjamim Busatto, amigo dos Missionários Saletinos e devoto de Nossa Senhora da Salette. O que levou esses valentes romeiros a viajarem até Marcelino Ramos – RS foi ver de perto a Virgem da Salette chorando e conhecer sua Mensagem que, desde 1928, quando os Missionários Saletinos se estabeleceram na Paróquia de São João Batista, propagaram sua devoção por aquelas redondezas.

Aí, no alto do morro foi o lugar do primeiro encontro de fé, de oração e de reconciliação. Lembro de nossa alegria de jovens seminaristas ao participarmos desse significativo acontecimento. A nossa pequena Capela que serviu para acolher estes “primeiros romeiros” era muito simples. O forro era de madeira trabalhada, formando pequenos retângulos. A imagem de Nossa Senhora da Salette chorando estava ali dentro e chamava a atenção de todos. Os padres disseram que ela tinha sido trazida da França. Vários bancos também ali de madeira serviam para nos ajoelharmos durante as nossas orações. Muitas vezes rezei nesta Capela, diante de Nossa Senhora...

Só me resta dizer: obrigado Mãe da Salette, por tantas graças recebidas de vosso Filho, por vossa misericordiosa intercessão! Sim, para nós jovens seminaristas e, para mim de modo especial que, após 1946, ano da minha Ordenação Sacerdotal até 1960, participei vivamente das Romarias, desejo congratular-me com tantos romeiros que foram chegando de tantos lugares e pedir, em nome de todos, a benção de Deus Pai, de seu Filho Jesus, do Espírito Consolador e de nossa Mãe, a Virgem da Salette.

Desde então, romeiros chegaram aos milhares.

Ajoelharam-se, rezaram, confessaram, regressaram melhores.

Muitos romeiros vêm ainda. Ajoelham-se, oram, confessam, regressam:

- Tristes, por não poderem demorar-se mais....

- Mas, felizes, por haverem ali permanecido algumas horas.

E a Santa Virgem, a “Bela Senhora”, continua a falar, na alma fiel e dócil de todo piedoso romeiro. Ela fala como outrora.

Incansável, Ela repete a Mensagem de penitência e de lágrimas.

Suas palavras de outrora são as mesmas de hoje. Basta querer compreender.

Que diz?... Ela disse e ainda diz:

“Vinde, filhos meus, não tenhais medo. Aqui estou para vos contar uma grande novidade!”

Pe. Clorálio Caime, MS.Pe Caimi

Go to top